Trem “dos” onze… A expansão do trem até Novo Hamburgo.

Passada mais de uma década de espera, o cidadão hamburguense finalmente vê a concretização do sonho da expansão do trem até o município.

Partindo da Estação São Leopoldo, a expansão até Novo Hamburgo contemplará, via elevado, um novo trecho de 9,3 km e quatro novas estações: Rio dos Sinos, Liberdade, Fenac e Novo Hamburgo.  Com recursos do Ministério dos Transportes e presente no pacote de obras do PAC, a obra, segundo levantamento feito em janeiro de 2008, custará em torno de R$ 692 milhões.

O último relatório de medições (janeiro/ 11), indicou que 74,53% da obra está concluída. Prevista para ser entregue em até 4 anos à partir do início das obras (fevereiro/ 09), percebe-se que o cronograma está sendo seguido fielmente pelas construtoras presentes no Consórcio Nova Via, responsável pela obra. Acredita-se que até dezembro de 2011 as obras estarão concluídas. Apesar do otimismo, eu particularmente só acredito vendo.

Além de desafogar o trânsito na BR 116, o novo percurso do trem beneficiará 30 mil novos usuários, que percorrerão o trecho Novo Hamburgo/ Porto Alegre em um tempo estimado de 55 minutos.

Foto: divulgação Odebrecht

Estação FENAC

Divulgação Odebrecht

Elevado – Av. Nações Unidas

Divulgação Odebrecht

Vista área

Divulgação Odebrecht

Impactos Ambientais:

A construção civil é um dos setores que mais consome recursos naturais, logo, é um dos setores que mais gera resíduos de todas classes. As construtoras que participam do Consórcio Nova Via utilizam meios para que a obra da expansão do trem seja uma obra sustentável, atendendo principalmente à legislação ambiental:

– Dentro do canteiro de obras há um sistema de reutilização da água utilizada para a lavagem dos caminhões, betoneiras e bombas. A água é reutilizada na produção dos concretos;

– Também há uma Central de Resíduos no canteiro de obras, onde ocorre a triagem de todos os resíduos da obra. Os resíduos recicláveis, por exemplo, são encaminhados para associações de recicladores do município. Até o momento foram reciclados 44,5 toneladas de resíduos recicláveis, 381,4 toneladas de metais e 1788,5 m³ de madeira;

– Para absorver os ruídos da obra e diminuir uma possível poluição sonora, são utilizados fonoabsorventes produzidos com concreto e pneus inservíveis aplicados nos painéis de vedação;

– Serão repostas 15 mil mudas de árvores nativas nos municípios de Novo Hamburgo e São Leopoldo, como medida de compensação ambiental, atendendo à legislação vigente.  O plantio das árvores está previsto para o mês de abril. Além disso, 27 mudas de árvores nativas protegidas pela legislação ou em extinção,  foram transplantadas.

PREOCUPAÇÃO COM MEIO AMBIENTE

Sem interferência no leito do Rio dos Sinos

Com extensão de 195m e largura de 9,70m, a construção das pontes metroviária e rodoviária, situadas no Trecho 2, foi executada através do sistema de Balanço Sucessivo – moderna tecnologia de construção de pontes, com formas deslizantes, em que não há necessidade de fixar pilares no leito do rio, apenas nas margens, o que evita interferência no curso da água e maiores impactos ao meio ambiente.

Monitoramento do Rio dos Sinos, Arroio Gauchinho e Arroio Luiz Rau

Semestralmente, uma empresa contratada realiza a amostragem da água superficial e sedimentos do Rio dos Sinos e do Arroio Gauchinho, em São Leopoldo, e do Arroio Luiz Rau, em Novo Hamburgo. O objetivo é a verificação de possível interferência da obra na qualidade das águas e sedimentos. Até o último monitoramento, feito em dezembro de 2010, não foi evidenciado nenhum tipo de alteração.

Fonte: Trensurb, por Andressa Pazzini

Impactos Econômicos:

Desde as primeiras discussões sobre o projeto de realizar a expansão do trem até o município de Novo Hamburgo, a ideia essencial é a de que o trem funcionará como um elemento reestruturador do transporte público, como ferramenta de planejamento urbano impulsionadora do desenvolvimento, visando inclusive, a revitalização de áreas degradadas.

O trem proporcionará uma acessibilidade à sociedade como um todo, facilitando o acesso à educação, cultura, etc., este é um dos inúmeros benefícios, proporcionado também, pelo valor do passe, que é mais acessível que o dos ônibus.

Outros benefícios: geração de 1200 empregos diretos e 3000 indiretos, economia na manutenção das vias (menor frequência), pavimentação de calçadas adjacentes às novas estações, drenagem pluvial, benfeitorias urbanas visando o setor de Turismo, principalmente para atender o número de turistas que virão assistir aos jogos da Copa 2014 no Brasil.

Turismo

A perspectiva é de que o número de visitantes internacionais para o Brasil cresça 79% até a Copa, podendo ter impacto superior nos anos seguintes.

O estudo aponta que, no período 2010-2014, o número de turistas internacionais deve crescer em 2,98 milhões de pessoas.

“O incremento do turismo traz consigo uma entrada significativa de recursos, que acabam se distribuindo entre os setores de hotelaria, transporte, comunicações, cultura, lazer e varejo”, explica José Carlos Pinto, sócio de assessoria da Ernst & Young. A estimativa é de que só o fluxo induzido pela Copa do Mundo seria responsável por receitas adicionais de até R$ 5,94 bilhões.

Fonte: Novo Hamburgo.org, da Redação.

Confira as imagens da obra no Flickr oficial da TRENSURB: http://www.flickr.com/photos/trensurb

 

 

Comentários desativados.

%d blogueiros gostam disto: